segunda-feira, outubro 09, 2017

Have we finished?


Depois de um casamento, fomos para tua casa... As dores nos pés e o desconforto das roupas... Vejo-te deitares a mão ao candeeiro e reduzir a quase nada a luminosidade da sala.
O som , por um acaso, uma das que mais gosto, "Private Dancer" Tina Turner. Puxaste-me e fizeste-me dançar contigo. A tua mão enorme na minha cintura fazia-me sentir amparada, a força que fazias para que o meu peito tocasse no teu ... Não teria palavras na altura para descrever o que sentia, nem tu.
Sabia apenas que era o mesmo, sabia apenas que nos abraçámos, que mãos houveram debaixo de roupa mas nunca o limite de um lábio meu tocar no teu aconteceu: para nós, isso era "não brincar".
Perdemos um pouco o norte, continuamos deitados no sofá, em cima um do outro, despidos da cintura para cima, eu mantive o básico, estávamos com as nossas regras. Seriam apenas regras idiotas? Estaríamos a brincar com os nossos limites...
Como seria hoje?
You Tube e Tina Turner. Mais soutien , menos soutien, nada quebra laços como estes.



Sou uma força da natureza, não tentes destruir - me...

5 comentários:

  1. Adoro quando pões tudo a ferver...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O teu também vai arder... (consegui "aquilo"

      Eliminar
    2. Já vi. E já agendei.
      E que bom saber que conseguiste o que procuravas. Espero que tudo te corra como desejas.

      Eliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.